Protetor Solar: Visão Geral

set 22, 2012   //   by carolinaramos   //   Blog  //  Nenhum Comentário

O protetor solar é um produto que ajuda a proteger a pele dos efeitos nocivos do sol e deixou de ser um acessório de quem vai à praia ou à piscina e se tornou uma proteção indispensável no dia a dia. Porém com a chegada do verão, os cuidados devem ser redobrados.

Muita gente ainda não leva a sério a importância do uso do produto e os problemas causados pela exposição ao sol, como envelhecimento, rugas, manchas, ressecamento da pele e câncer. Segundo estatísticas do Instituto Nacional do Câncer, o câncer de pele é o de maior incidência no Brasil e 90% dos casos estão diretamente relacionados à exposição ao sol.

Com a chegada do verão a incidência dos raios UVB (raios ultravioleta B) aumenta muito. Eles incidem principalmente entre as 10h e às 16h e provocam a vermelhidão na pele. Depois de exposições prolongadas, ocasionam queimaduras graves seguidas de formação de bolhas, descamação e lesões precursoras de câncer.

Os raios UVA (raios ultravioleta A) incidem com a mesma intensidade durante todo o dia e têm grande capacidade de penetração em camadas mais profundas da pele. Sua absorção, a médio e longo prazo, é responsável por efeitos destrutivos na pele, como envelhecimento, perda de elasticidade, manchas e até o surgimento do câncer. A intensidade dos raios UVA também não muda com a estação do ano.

O FPS (Fator de Proteção Solar) é uma medida que indica a efetividade do filtro solar. Todo filtro solar tem um número que determina o seu FPS. A pele, quando exposta ao sol sem proteção, leva um determinado tempo para ficar vermelha. Quando se usa um filtro solar com FPS 15, por exemplo, a mesma pele leva 15 vezes mais tempo para ficar vermelha.

O protetor ideal deve ter FPS de no mínimo 15 e ser de amplo espectro (deve absorver ou bloquear as radiações ultravioletas A e B). Podem ser na forma de creme, loção, spray ou gel e sua indicação vai depender do tipo de pele e região do corpo onde será utilizado.

Dicas importantes para a escolha do filtro solar:

  • Toda embalagem precisa deixar claro que o produto protege contra os raios UVA e UVB, e deve ter o número do FPS.
  • O produto deve ser, no mínimo, FPS 15, inclusive para quem tem pele mais morena. Quanto mais clara for a pele, mais alto deve ser o FPS. Vale a pena investir nos fatores de proteção mais altos, mesmo que as diferenças de proteção não sejam muito grandes. O FPS 15 filtra 93,3% da radiação ultravioleta B, enquanto o FPS 30 evita 96,7%.
  • Quando vier escrito que o produto é hipo-alergênico significa que ele é composto de substâncias que não provocam alergias.
  • Oil free são produtos que não contém substâncias oleosas. São os mais indicados para pessoas de pele oleosa ou com acne.
  • Peles secas combinam com texturas cremosas, que protegem e hidratam.
  • Pessoas com pele sensível, crianças e bebês devem preferir produtos hipo-alergênicos, sem fragrância ou corantes e livres de ácido 4-aminobenzóico, também conhecido como PABA e presente em alguns protetores.
  • Quando vier escrito que o filtro é “não comedogênico” significa que o produto não obstrui os poros, evitando a formação de cravos e espinhas.

Se você tem dúvida na escolha do protetor ideal para sua pele procure um dermatologista, ele saberá indicar o tipo mais adequado à cor e à textura da sua pele.

E lembre-se: Os protetores devem ser aplicados 30 a 45 minutos antes da exposição solar e reaplicados a cada 2 horas ou após transpiração excessiva e mergulhos prolongados.

No dia-a-dia, passe o produto nas regiões que ficam mais expostas ao sol (rosto, pescoço, colo, braços e mãos) e, quando estiver na praia, em todo o corpo.

Evite a exposição ao sol no horário das 10h às 16h, no qual os raios são mais intensos. E mesmo durante o período adequado é necessária a utilização de proteção como chapéu, guarda-sol, óculos escuros e filtros solares com fator de proteção 15 ou mais.

Como diria Pedro Bial: “Se eu pudesse dar um conselho em relação ao futuro eu diria: ‘Use filtro solar’!”.