Plantas medicinais: “É natural, não faz mal.” Será?

out 28, 2011   //   by carolinaramos   //   Blog  //  Nenhum Comentário

por Amaro Ramos

         A utilização de plantas medicinais no Brasil é uma importante fonte terapêutica para a população, devido ao fácil acesso e ao grande conhecimento popular. Mesmo nos dias de hoje é possível encontrar diversas espécies sendo vendidas em feiras livres, mercados e afins, para os mais diversos fins como dor, febre, problemas intestinais, renais, entre outros. Porém, há algum tempo atrás, alguns questionamentos a respeito das plantas começaram a surgir, e então começou a haver maior interesse em pesquisas nessa área para se obter maiores informações.

         Devido aos avanços e descobertas das pesquisas, é possível observar nas prateleiras das farmácias uma grande variedade de medicamentos feitos a partir de plantas medicinais, sejam eles utilizando a planta inteira ou contendo partes ou derivados das plantas em sua formulação. Alguns exemplos de plantas utilizadas como matérias primas para produção de medicamentos são: alcachofra, alho, cáscara sagrada, castanha da Índia, guaraná, ginseng, ginkgo biloba, guaco, sene, valeriana, entre vários outros.

         Entretanto, o uso de plantas medicinais se tornou indiscriminado por se tratar de algo comum e presente no dia a dia das pessoas. A utilização de plantas medicinais ou medicamentos preparados a partir dela, não são vistos como os demais medicamentos. Existe uma cultura de que “o que é natural não faz mal” e isso não é verdade. As plantas medicinais tanto quanto quaisquer outros medicamentos podem interagir com um segundo medicamento, aumentando ou inibindo o efeito desejado. Elas também podem, em doses elevadas, causar efeitos não desejados (efeitos colaterais) ou tóxicos ao paciente. Sendo assim, as plantas medicinais possuem contra indicações e devem ser utilizadas com cuidado em determinados pacientes.

         Devemos lembrar que as plantas produzem diversas substâncias que são capazes de atuar em nosso organismo, assim como as substâncias componentes de qualquer outro medicamento, e seus efeitos podem ser benéficos ou não. As tabelas abaixo exemplificam alguns efeitos adversos e interações que os medicamentos à base de plantas medicinais podem apresentar.

.

.

        Enfim, devemos sempre comunicar ao médico sobre o uso de qualquer outro medicamento, seja ele derivado de planta medicinal ou não. Procure sempre a orientação de um farmacêutico para esclarecer suas dúvidas.

.

.

.

Deixe um comentário